Dois casos suspeitos de Coronavírus são monitorados no Maranhão

A informação foi confirmada pelo Secretário de Saúde, Carlos Lula, por meio de uma rede social, nesta sexta-feira (28).

O primeiro caso foi identificado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais, em São Luis. A paciente, vinda da Itália, apresentou comprometimento respiratório, febre alta, tosse e cansaço progressivo, e está em isolamento na UPA. Por conta da necessidade de internação, a paciente aguarda transferência para o Hospital Dr. Carlos Macieira.

Já o segundo caso foi identificado na UPA do Itaqui-Bacanga, em uma paciente que relatou ter passado por países como China, Japão, onde foram identificados diversos casos do coronavírus. A paciente chegou a São Luis há quatro dias e apresenta sintomas como dispneia e tosse seca, mas permanece em isolamento na UPA, sem necessidades de internação.

Os pacientes receberam os primeiros atendimentos e coletaram amostras que serão examinadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (LACEN-MA).Em seguida, estas amostras serão encaminhados para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Pará.

O secretário informou, ainda, que estão sendo tomadas as medidas previstas no Plano de Contingência para o COVID-19 no Maranhão, elaborado em conformidade com o Plano de Contingência Nacional e Gestão de Riscos.

O Brasil tem 182 casos suspeitos de coronavírus, de acordo com o boletim sobre o Covid-19 divulgado nesta sexta-feira (28) pelo Ministério da Saúde. O novo balanço não traz novas confirmações – há somente um caso positivo. O levantamento aponta ainda que outras 71 suspeitas foram descartadas desde o início do monitoramento.

O levantamento mostrou a seguinte distribuição dos casos pelo Brasil: São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Bahia (9), Santa Catarina (9), Ceará (6), Pernambuco (5), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (5), Rio Grande do Norte (3), Mato Grosso do Sul (2), Espírito Santo (2), Paraíba (1) e Alagoas (1).

 

Fonte: ASCOM