Dinheiro para ajuda sanitária de combate ao covid-19 foi desviado por governadores e prefeitos

O Brasil é um país altamente corrupto e isso todos sabem.

O que muitos não esperavam era que mais de 60% do dinheiro de ajuda sanitária fosse desviado por prefeitos e governadores.

Escândalos de superfaturamento na compras de testes rápidos, respiradores e hospitais de campanhas apenas de fachada foram descobertos pela Polícia Federal em um terço dos estados.

É a triste realidade em plena pandemia. Essa roubalheira toda foi facilitada por causa da lei de emergência que permitiu estados e municípios fazerem compras de insumos, aparelhos e medicamentos sem licitação, sem burocracia, de forma mais ágil.

Os gananciosos que desviaram o dinheiro, desviaram para si, para seus deleites, enriquecimento ilícito e para gastar em campanhas eleitorais.

Mais de 4 bilhões de reais estima-se que foram roubados dos cofres públicos, porém o roubo deve ser maior à medida que a polícia federal vai intensificando as investigações.

Um relatório da PF mostra que governadores e prefeitos firmaram contratos de R$ 1,3 bilhões de reais e desses, R$ 775 milhões desceram pelo ralo da corrupção, 60% dos valores das ações sanitárias foram para o bolso de políticos e empresários.

Fica claro que o isolamento social forçado e o lockdown foi um estelionato eleitoral para aproveitadores que fraudaram os números de mortes por coronavírus para que rios de dinheiro do governo federal fossem enviados para os picaretas.

Crédito: Jornal da Cidade On Line