Publicidade [660x100]

Depois de ser preso em novembro deste ano por aparecer com uma submetralhadora em vídeo, o advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior foi denunciado pelo Ministério Público do Acre. O homem havia sido detido por conta de dois vídeos que circularam na internet: em um deles aparece com a arma de fogo, no outro diz fazer parte de uma facção criminosa. Se a denúncia for aceita, ele pode pagar multa e cumprir até 18 anos de prisão.

Segundo informações do G1, Manoel Elivaldo Júnior foi denunciado na segunda-feira (18) pelo Grupo de Atuação Especial ao Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que faz parte do Ministério Público do Acre (MP-AC).

Apresentada pelos promotores de Justiça Bernardo Albano e Ildon Maximiano, a denúncia acusa o suspeito de porte de arma, promoção, suporte financeiro e participação em facção criminosa.

“Não existe fato novo. Encerrou-se o inquérito policial acerca dos contidos nos vídeos. Ainda não há denúncia formal do MP”, declarou o advogado de defesa de Manoel Elivaldo Júnior, Silvano Santiago, ao G1. Ele afirmou desconhecer a denúncia formalizada pelos promotores e acrescentou que o processo foi suspenso devido ao pedido de avaliação de saúde mental do seu cliente.

O exame seria necessário para avaliar se no momento da ação o homem tinha condições de entender o caráter ilícito do que estava fazendo. Manoel Elivaldo Júnior continua preso no Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) do Acre desde o dia 24 de novembro. Ele já teve o registro profissional suspenso pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AC).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here