Publicidade [660x100]

Pedaços de uma das “Cartas Maranhense” que Domingos Barbosa escreveu em 1911, sobre o Congresso Legislativo do Maranhão,ao tempo em que o autor,ardoroso parlamentar,foi também,jornalista e tribuno,sublime em erudição,estilo e eloqüência.
Governava o Maranhão a figura insinuante do Dr. Luiz Antonio Domingues da Silva, clássico na linguagem e energia de expressão.
Escreveu Domingos Barbosa:
“O Congresso Legislativo do Maranhão lembra uma sala de redação, pelos jornalistas que aí se assentam.
Ao fundo do salão, na Presidência, Frederico Filgueiras, o fulgurante jonalista e decano dos homens de imprensa do Maranhão, diretor do “O NORTE” de Barra do Corda.
À sua direita, o Dr. José Barreto, diretor da “PACOTILHA”.Um talento e um caráter a valer.
Luiz Carvalho, do “DIÁRIO DO MARANHÃO”. Fala pausado. Figura serena do poeta que é.
Ao seu lado, Luso Torres, cronista da “PACOTILHA”, jornalista combativo, oficial do exército.
Em seguida o José Medeiros e o Viriato Correa, sempre interessados,criando escolas,um melhoramento qualquer para o sertão.
E com que calor e com que brilho os defendem.
E na extrema esquerda, risonho, sempre de claro, o Máximo Ferreira, o talentoso Diretor de “O DEBATE”de Brejo.Está sempre a tomar notas,a fazer reportagem parlamentar para sua gazeta,imitando o Luso Torres e Luiz Carvalho, para a PACOTILHA e para o DIÁRIO.
Não é quase uma sala de Jornal o Congresso? É isso talvez e é preciso para ser franco, o diga aos leitores, a razão principal de muito prezar a minha cadeira de legislador.
Estimo muito a minha qualidade de representante do meu Estado. Essa qualidade, porém, me foi dada pela generosidade dos meus patrícios.Tenho em imensa conta tudo o que sou por meu esforço próprio.
Deputado fiz-me com o meu esforço, mas também me fizeram os maranhenses com o seu voto
Jornalista fiz-me eu”.
O Poder Legislativo desde a proclamação da República, passou a ser denominado Congresso Legislativo,até 1930, com a ascensão de Vargas ao poder passou a ser denominado Assembléia Legislativa que perdura até hoje.
Este trabalho é apenas uma página na história de jornalistas na Assembléia, pois durante os seus 180 anos outros grandes e talentosos jornalistas fazem parte de sua história.

Prof. Jacques Medeiros
Membro da Academia Caxiense de Letras e
do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias.
Ex-Reitor da Uema. Professor Emérito da UEMA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here