Publicidade [660x100]

De sujeito tímido, calado, de poucas falas durante as reuniões, de primeiro mandato, à presidente da Câmara Municipal. Com o apoio da oposição, Francisco Helber Costa Guimarães (PEN) de 33 anos é o novo dono da cadeira do legislativo timonense. “Caso se confirme é claro, a legalidade da sessão do dia 02/01, que irá passar por termo de vista do Ministério Público Estadual que emitirá parecer conclusivo, em 10 (dez) dias.”

Neste, sábado 05 de janeiro em meio a muita polêmica, ausência de vereadores governistas e um mandato de segurança que gerou uma medida provisória expedida pelo Juiz de Plantão da comarca de Timon, Simeão Pereira, que é Juiz de Direito da Vara da Infância e Juventude, Helber Guimarães venceu uma disputa apertadíssima e poderá ocupa o cargo durante o biênio 2019-2020. “Apertado em virtude dos governistas somarem 10 vereadores. O vereador eleito conta com 11 votos somado o seu”.

A eleição teve clima de final de campeonato. Apesar de ter sido eleito na base do prefeito Luciano Leitoa (PSB), em 2016, Helber encampou o projeto dos vereadores de oposição e de outros descontentes e aceitou encabeçar a chapa dos oposicionistas.

Caso se confirme a legalidade da sessão do dia 02/01; A nova diretoria terá como 1° vice-presidente, vereador Ramon Júnior (PP); 2° vice-presidente, vereador Kaká do Frigosá (PSB), 1° secretário, vereadora Professora Cláudia (PMB) e o 2° secretário, o vereador Adão da Ceasa (PR).

CASO INUSITADO

Minutos antes do fim da sessão que já estava em curso, um oficial de Justiça chegou a casa legislativa timonese para entrega a notificação para a vereadora Socorro Waquim (MDB) que presidia a sessão, o mesmo foi impedido pelo irmão do vereador Ramon Junior (PP), e por seguranças da iniciativa privada, a ter acesso a secretaria da casa para cumprir o mandato de segurança e notificar a presidente em exercício.

Mesmo com todo esse imbróglio Helber Guimarães foi empossado por Socorro Waquim e tomou posse na Câmara dos Vereadores, que contava com a presença de muitos policiais, que foram acionados para acompanhar o oficial de Justiça, após o pitoresco e inusitado caso que impossibilitou o representante do judiciário ter acesso a secretaria da casa legislativa para notificar a suspensão da sessão que aprovou o edital de convocação da eleição da mesa diretora.

Informações Front Notícias

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here